Como está dito no vídeo, 70% do valor em tecnologia está impulsionado pelos efeitos de rede ou network effects (Nfx).

Uma certa popularização do tema leva a pensar o mesmo limitado ao “dilema do ovo e da galinha” (chicken & egg dilema).

Em termos mais acadêmicos, costumamos referir-nos a Two-sided market.

O segredo deste efeito com certeza foi dominado pelas Big 5. E na verdade deveria ser dominado por quem queira crescer na era pós-industrial.

Este é o objetivo deste artigo: um alerta sobre o poder dos efeitos de rede (network effects ou NfX).

As Big 5 (Apple, Google, Microsoft, Facebook e Amazon) estão atingindo as avaliações mais altas de todos os tempos. O Facebook deixou de estar entre as 10 primeiras posições, temporariamente, pois com certeza vai voltar.

O Airbnb vale mais que o Hilton no mercado privado. Uber vale mais que a GM. Spotify e Dropbox fizeram sua primeira oferta pública de ações (IPO) em 2018, com Slack e Didi Chuxing se preparando para seu próprio IPO.

Vem bem a propósito mencionar estas empresas ao mesmo tempo, porque exceto a Amazon, o DNA comercial de todas é incrivelmente semelhante.

Todas são negócios que utilizam intensivamente o efeito de rede. E o resultado é que a maioria dos retornos gigantescos das empresas desde 1994 usou efeitos de rede.

Para quem está familiarizado com a cartilha de como funciona este efeito notável, não há surpresa no rápido crescimento destas empresas. Mas é surpreendente que poucos profissionais conheçam o manual de táticas de efeitos de rede.

Muitos ainda confundem com efeitos virais. Muitos sabem que é importante, mas não sabem o que significa.

NfX: a pesquisa

É muito útil e esclarecedor identificar um número real que expresse a quantidade de valor que os efeitos de rede criaram no mundo digital.

Nos últimos 23 anos, os efeitos de rede representaram aproximadamente 70% da criação de valor em tecnologia.

NfX, uma empresa que é referência no assunto, fez uma pesquisa sobre as empresas digitais fundadas desde que a Internet se popularizou em 1994 e chegaram a um valor de mais de US$ 1bilhão.

336 empresas entre 1994 e 2017 se enquadraram neste critério.

Ao observar cada um dos modelos de negócio das empresas e compará-los a uma lista de 13 efeitos de rede conhecidos, a NfX estima que 35% dessas empresas tinham efeitos de rede em seu núcleo. Porém, em geral, eram muito mais valiosas que as empresas sem efeitos de rede, e, portanto, somavam até 68% do valor total.

Em outras palavras, as empresas que aproveitam os efeitos de rede têm uma vantagem assimétrica. Batem acima de seu próprio tamanho. São os Davis que vencem os Golias, e logo se transformam em Golias.

Os outros 65% das empresas de mais de US$ 1 bilhão utilizaram outras estratégias para criar seu valor, a saber, incorporação, escala e marca. Essas são boas abordagens e criaram 219 empresas de mais de US$ 1 bilhão. 65% do total. Mas as avaliações dessas empresas geralmente excedem a faixa de US$ 1 a US$ 2 bilhões, o que leva aos resultados desta pesquisa.

O preditor individual mais importante do valor tecnológico

Acontece que ter efeitos de rede na estratégia do modelo de negócio é o maior preditor do sucesso das empresas de tecnologia mais valiosas, além de “ter um ótimo CEO“.

Mas, surpreendentemente, somente 20% dos planos de negócio tinham os efeitos de rede previstos neles.

É possível que a maioria dos fundadores não consigam desenhar efeitos de rede em seus negócios porque não os entendem suficientemente bem. E ao não compreendê-los, não os incorporam desde o início.

É triste ver isso, porque da mesma forma que as Big 5 estão consolidando sua ameaça dominante para as novas empresas, e do mesmo jeito que muitas novas empresas perderam os ventos favoráveis da Internet e as mudanças da tecnologia móvel, na maioria dos fundadores falta um ingrediente essencial do qual vão necessitar. 

Não é o tamanho do cachorro que importa na briga. O que importa é o tamanho do network effect do cachorro.

A menos que os fundadores estejam conscientes da importância e da disciplina dos efeitos de rede, a balança penderá fortemente a favor daqueles que o tenham conseguido.

Se o seu lançamento não tem efeitos de rede, você deve repensar a sua estratégia.

Dada a sua importância, é surpreendente que haja tão poucos lugares para aprender sobre esses efeitos de rede. Em termos gerais, HBSPlatformed e as fontes acadêmicas.

Mas fica uma grande lacuna entre o pouco que se escreve e se sabe sobre os efeitos de rede e quão enorme é o impacto que têm na geração de valor (sem mencionar seus impactos na sociedade e no futuro de nossa economia e política, mas essa é outra discussão).

Babel-Team acompanha de perto como a NfX fundou 10 negócios de sucesso de efeitos de rede, apoiados por empresas, e investiu em mais de 200 startups de efeitos de rede. A partir desta experiência, a NfX conseguiu identificar 13 tipos diferentes de efeitos de rede. Cada um tem um manual de instruções em constante evolução. Cada um pode ser complexo, e raramente são explícitos.

Assim como a NfX, a Babel-Team se considera praticante e estudante reflexiva dos efeitos de rede, sempre aprendendo. Nosso objetivo também é desmistificar o funcionamento interno dos efeitos de rede.

Efeitos de rede e a próxima grande coisa

Algumas pessoas perguntam: “As principais empresas têm efeitos de rede, mas muitas delas foram fundadas entre 5 e 20 anos atrás… Será que o poder dos efeitos de rede continuará com as novas empresas?”

Sem nenhuma dúvida, sim.

De fato, os efeitos de rede crescerão em importância porque as novas plataformas – e as verticais reinventadas – já nascem em rede:

– Criptomoedas

– Sintéticos

– Biologia

– Realidade Aumentada

– Inteligência Artificial

– Realidade Virtual

– Internet das Coisas

– Robótica

– Drones

– Transportes

– Cidades Inteligentes

– Agricultura

– Cuidados de Saúde (Health Care)

– FinTech

Compreender os princípios dos efeitos de rede e aplicá-los a novas empresas hoje deve produzir a mesma ou maior vantagem de defesa e geração de valor que vimos nas empresas posteriores a 1994, principalmente porque agora existem mais de 3 bilhões pessoas conectadas à Internet. Por exemplo, se for preciso projetar uma empresa de IA com ou sem efeitos de rede, será sempre preferível que tenha efeitos de rede.

As Regras do Jogo dos Network Effects

Quando criar seu negócio digital, desenhe seu produto para permitir que os usuários participem da geração de valor. Deixe que o uso do produto agregue valor para os demais usuários. Permita que o cliente 2 agregue valor ao cliente 1. Isso torna a empresa defensável, porque os concorrentes têm dificuldade em agregar tanto valor para os usuários uma vez assumida liderança, e a estratégia cria valor.

Se a história pode nos ensinar algo, apostamos que os próximos SnapChat, Airbnb e Uber serão criados nos próximos 24 meses. Embora a próxima startup de bilhões de dólares não se pareça a essas empresas do exterior, é uma boa aposta que elas tenham efeitos de rede em seu interior.

Aprender as regras do jogo dos efeitos de rede fará uma grande diferença em seu início.

Analisaremos essas regras no próximo artigo.

Quero acompanhar as novidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.