Os chatbots estão em uma trajetória de crescimento explosivo graças à sua capacidade de imitar conversações e oferecer conexões digitais instantâneas.

Eles são um tema quente nas mídias, tanto para os usuários finais, quanto para as comunidades de fornecedores. Esse burburinho não é uma surpresa já que se espera que os chatbots, aqueles que utilizam inteligência artificial (IA) para imitar as conversas humanas, se generalizem nos próximos 2 ou 3 anos.

“Para 2020, mais de 50% das médias e grandes empresas já terão implementado chatbots de produtos”, diz Van Baker, vice-presidente de investigação na Gartner, enquanto estava no evento de Arquitetura, Desenvolvimento e Integração de Aplicativos da Gartner, que ocorreu nos dias 12 e 13 de março em Mumbai.

E falando de nós mesmos, de nossas vidas privadas…com quem vamos conversar nos próximos anos?

Chatbots

Graças à sua capacidade de utilizar o processamento da linguagem natural para associar uma mensagem falada ou escrita a um propósito, os chatbots estão entrando rapidamente no ambiente de trabalho e em nossas vidas pessoais. Essa é uma grande notícia para as organizações com grande público millennials, tanto em seus clientes internos (funcionários) como em seus clientes externos.

Os chatbots se adaptam a todos os tipos de comportamento de fluxo de trabalho característicos dos millennials, que estão acostumados e demandam conexões digitais instantâneas que os mantêm atualizados a todo momento. É natural que suas preferências profissionais reflitam as de suas vidas pessoais.

As ferramentas que se utilizam hoje devem simular esta tendência de comportamento e complementar uma colaboração mais rápida, melhor e mais eficiente no ambiente de trabalho”, diz Baker.

Os chatbots conseguem isso devido à eficiência e à facilidade com que os trabalhadores podem interagir com os robôs usando uma linguagem natural.

“Os chatbots economizam tempo e são fáceis de se interagir, já que utilizam o processamento de linguagem natural, reduzem as taxas de erros associados com os seres humanos e melhoram a participação dos clientes”, explica Baker (consulte a imagem a seguir). “Também é evidente que a disponibilidade de variados bots de código aberto conduzirá uma proliferação de chatbots facilmente acessíveis para o uso das empresas”.

De Seis Ações a Um Pedido:  Como um Chatbot pode poupar seu Tempo e Esforço?

John está tentando encontrar um arquivo que está armazenado na Dropbox. Para fazer isso, segue um processo de 6 passos. Usando um chatbot, no entanto, pode apenas fazer um pedido verbal.

Na Babel-Team, estamos começando

Mesmo que ainda não tenhamos implementado a busca interna de arquivos, já estamos atendendo nosso público com um chatbot que ensinamos a dar suporte aos nossos clientes e, também, a vender.

Chatbots

Para implementar nosso assistente robotizado, nesta fase inicial, estamos utilizando o ManyChat.

Nós próximos posts, veremos os resultados de Bel, nosso super chatbot!

Sobre o autor:
Jorge Aldrovandi  CEO da Babel-Team.

É pioneiro em serviços de marketing via Internet, no Uruguai, seu país natal, e no Brasil, onde vive desde 2002. Trabalha com automação desde 2010. Responsável pelo planejamento estratégico e modelo de negócios de clientes no Brasil, na América Latina, Portugal e Espanha.

Sendo neto de italianos, desde pequeno Jorge gosta muito de estabelecer vínculos e por isso, boa parte de seus clientes termina sendo também parceiros e amigos. Quando é perguntado “Como que você desenvolveu uma rede tão grande de parceiros?”, sempre responde:”Tomando um vinho e comendo boas pizzas.”

Os valores da Babel-Team, são os valores do Jorge: Ética sempre, respeito acima de tudo e crescimento constante! ”

Quero acompanhar as novidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.